É O QUE É. E O QUE NÃO É.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

RECEITA DO DIA

Procurando uma refeição saudável e nutritiva? Então acompanhe a dica de um legítimo Chef Black Metal!!!


sexta-feira, 20 de maio de 2011

FORA DO TODO?

Salvador Dali



Partes que formam um todo
Partes que escapam ao todo
Não importa
Somente o nada importa

É o que há para se buscar

Somente o nada está em tudo

É preciso
sair para ver
se contradizer

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O QUE É ISTO AFINAL?

M. C. Escher


Apenas parte
De uma complexidade.

Que forma um todo?
Talvez.

Mas o todo não é tudo

quarta-feira, 18 de maio de 2011

terça-feira, 17 de maio de 2011

O MELHOR DA MPoB NO CIRCO VOADOR

.

Próxima sexta, 20/05/11, o picadeiro do Circo Voador, no Hell de Janeiro, irá tremer para mais um evento histórico. No palco, Cabrones Sarnentos, Gangrena Gasosa e Matanza.

O CABRONES SARNENTOS é... bem, fica muito mais interessante deixar que a própria banda se apresente e emende uma sonzeira.

video
CABRONES SARNENTOS - ESSA NOITE


O MATANZA surgiu em um período crucial do rock brasileiro. No início dos anos 2000, quando o cenário estava assolado por NXZEROs e similares, e as bandas clássicas de rock cada vez mais insossas e decadentes, de repente aparece o Matanza com sua filosofia "pé na porta, soco na cara". Letras totalmente politicamente incorretas, músicas agressivas e divertidas numa competente mistura de country e rock pesado sacudiram a cena e significaram um contra-ataque à chatice e mesmice que se espalhava por todo lado. Seu álbum "Música para beber e brigar" se tornou um clássico e agora a banda estará apresentando seu novo CD "Odiosa natureza humana", lançado no início do ano.

video
MATANZA - BOM É QUANDO FAZ MAL


O GANGRENA GASOSA é uma das maiores lendas vivas da MPoB (Música Porrada Brasileira). Desde o início dos anos 90, a banda inovou a música pesada com sua mistura única de metal, macumba e muita irreverência, num gênero que passou a ser definido como Saravá Metal. Depois de uma pausa nas atividades no início da década passada, eles retornaram em 2005 com uma nova e excelente formação. Absurdamente criativa e com uma postura de palco impressionante, não há dúvidas de que eles vão incendiar o Circo. Também estarão mostrando as composições de seu mais recente álbum "Se Deus é 10, Satanás é 666", lançado no ano passado.

video
GANGRENA GASOSA - EU NÃO ENTENDI MATRIX

video
GANGRENA GASOSA - CENTRO DO PICA PAU AMARELO


SARAVÁ METAL
(Gangrena Gasosa)

Você que é Heavy e só acredita
nos diabos lá de fora...
Fique sabendo que aqui no Brasil
Tem diabo bom também!

Egum, Tranca Rua, Exu Caveira,
Maria Padilha, Maria Molambo, Zé Pilintra
Black Velho, Sete Flecha, Pomba Gyra
Omulú, Pai Bará, Bispo Macedo,
Paulo Ricardo, Renato Russo, Lulu Santos,
Vó Manuela, Collor de Mello, DJ Batata.
Agora é hora de ter mais cérebro
De ter mais cérebro do que cabelo
Headbanger vão bater
Cabeça no terreiro.

Saravá Metal.

O santo de casa também faz milagre.




Detalhes do evento em: http://www.circovoador.com.br/ 

terça-feira, 10 de maio de 2011

MONDO ZINE

Dia 29 de abril foi o Dia Internacional do Fanzine. Claro que a data não poderia passar em branco. Em comemoração, a trupe de fanzineiros e ativistas culturais do ABC Paulista organizou a 1ª FANZINADA. Segue vídeo mostrando como foi o evento.


E está na net mais um JUVENATRIX, que continua sua impressionante regularidade e chega ao nº 127. Aqui temos o de sempre: Metal, Horror e Arte Extrema; os elementos básicos que fazem do zine obra indispensável do universo independente. Esta edição está um pouco mais compacta que as últimas, mas apresenta mais uma fuderosa capa ilustrada por Rafael Tavares; dicas de música pesada, livros, fanzines; divulgação de obras e eventos underground; contos (aqui cabe destacar o interessante e divertido conto Meu inferno sou eu, de Mario Carlos Carneiro Junior, que é ao mesmo tempo uma história de fantasmas e de zumbis); artigos e resenhas. Peça ao Renato Rosatti pelo renatorosatti@yahoo.com.br - Site: www.juvenatrix.blogspot.com

Outro zine que segue em ritmo forte é o REBOCO CAÍDO, que já aparece em sua 4ª edição. Esta está bem caprichada e recheada, com 24 págs. Logo de cara vemos uma capa e contra-capa sensacionais, com ótimas montagens. Este nº está mais pessoal que os anteriores, quase todos os textos são de autoria do editor Fábio da Silva Barbosa. Também colaboram Wagner T., Alexandre Mendes, Murilo Pereira Dias, Evandro dos Santos pinheiro. Os textos são bem diversificados, temos contos, poemas, artigos críticos, crônicas, divulgação de eventos, e até um roteiro incompleto para HQ, além de várias entrevistas. Os entrevistados são: Eduardo Marinho, Cleber Araújo, OTA, Helena Ortiz, Renato Donisete. Contato: Cx. Postal 100050, Niterói - RJ - 24020-971 _ Site: http://rebococaido.blogspot.com/

terça-feira, 3 de maio de 2011

Mais do mesmo

"Nunca imaginei que ficaria empolgado com a morte de alguém. Demorou para acontecer", disse o bombeiro Michael Carroll, de 27 anos, cujo pai também bombeiro morreu no dia dos ataques, em Nova York. "Finalmente chegou... é uma boa sensação".

"Após toda a tristeza ao nosso redor, precisávamos disso. O mal foi extirpado do mundo", disse Guy Madsen, de 49 anos, um vendedor de Clifton, Nova Jersey, que foi de carro a Manhattan com seu filho de 14 anos.



Morte de Osama bin Laden reduz o risco nos mercados:



Para quem lê as duas notícias acima e possui uma mínima capacidade de associação de idéias e análise crítica não é preciso falar mais nada. Mas mesmo assim vamos contar uma fábula:
Era uma vez um poderoso reino desacreditado. Um império que ameaçava desabar. Uma crise que provocava incerteza quanto ao futuro. Então surgiu um novo líder. Jovial, carismático, eloqüente, e que representava as minorias, representava uma nova visão, um novo tempo. O progresso. A salvação. A euforia se espalhou. A esperança fez o povo voltar a sorrir. Mas o tempo passou, e a crise continuou. O reino permanecia estático, não crescia mais. O sorriso logo desapareceu. Os súditos passaram a duvidar de seu novo messias. O resto do mundo não mais temia aquele gigante, passou a apostar em novos impérios que tomariam seu lugar. O que fazer? Como recuperar o trono? Mas, espere: a resposta já foi dada. É só olhar pra trás. Vamos fazer o que vínhamos fazendo: provar que somos os mais fortes.

Então o império decide invadir um país do outro lado do mundo, sem pedir qualquer permissão, para destruir seu inimigo. Quem é seu inimigo? É um homem que parece uma sombra, que não deixa rastros. Um homem que só deu notícias nas últimas décadas através de vídeos de poucos minutos e péssima qualidade. Um homem que havia realizado a proeza de articular o maior atentado terrorista da história de dentro de uma caverna !!!! Embora o império declame o tempo todo para seus súditos ser o maior defensor existente da democracia, não há qualquer julgamento. O inimigo e seus comparsas são encontrados e sumariamente executados. No dicionário do império, justiça e vingança são sinônimos. O homem da caverna que ninguém via agora é que não será mais visto mesmo. Torna-se um homem sem corpo, é entregue ao mar. Segundo o império, em respeito a suas tradições. Como é nobre e honrado o império. O povo vibra. Não importa se as informações sobre os acontecimentos são obscuras e as evidências são descartadas. Somos os mais fortes novamente. Agora o resto do mundo vai voltar a nos respeitar e temer. A “justiça” foi feita. O mal foi derrotado. Todos serão felizes para sempre.

Ou pelo menos até a próxima reeleição...


Muito bem, vamos refletir um pouco. Então se alguém matar um ente querido nosso, podemos matá-lo? Sim, podemos, pois o Presidente do Mundo nos mostrou que isso é justiça. E os grandes líderes ocidentais estão de acordo e apóiam, então não há qualquer dúvida. Podemos matar também todos que estiverem próximos ao assassino quando o encontrarmos? Sim, podemos, pois certamente são cúmplices, tão terríveis quanto ele e que merecem o mesmo destino. Assim faremos um mundo melhor. E o que fazemos quanto aos corpos? Vamos continuar seguindo a receita dos piratas, jogá-los aos tubarões. Assim sobra mais espaço no navio para levarmos o tesouro.

A nação comemora. Mas a indústria armamentista comemora ainda mais. O que já era bom vai ficar ainda melhor. Em 2010, os EUA investiram cerca de 700 bilhões de dólares em exércitos e armamentos, segundo o portal Exame. (http://exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/os-paises-que-mais-gastaram-com-forcas-armadas-em-2010). Pra se ter uma idéia do que representa esse montante, se os EUA resolvessem doá-lo para a Gâmbia, transformaria este minúsculo e esquecido país da África Ocidental na 19ª maior economia do planeta. E daqui pra frente certamente estes investimentos crescerão muito. Afinal, os ianques precisarão se proteger da “iminente retaliação” dos terroristas. Pobres cidadãos estadunidenses, não sabem o que é festejar. A indústria armamentista sabe.

E assim a história continua. Segue o ciclo do patriotismo e do medo. A maneira mais fácil de governar. O orgulho da nação e o medo da ameaça externa legitimam qualquer medida imposta pelos líderes. Os estadounidenses estão amparados, e assim estão felizes. Não importa se a taxa de desemprego é a maior dos últimos tempos. Não importa se as liberdades individuais são cada vez menos respeitadas. Eles não querem emprego, não querem liberdade. Eles querem sangue!
A pergunta que fica é aquela de sempre: quem será o próximo a ser destruído?

estadounidenses celebram mais uma chacina promovida por seu governo


“Toda percepção é uma aposta” – Husserl, filósofo alemão.