É O QUE É. E O QUE NÃO É.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

SUOR

(Por: Fenilisipropilamina Man)



Plastrão
Discrepância
Areópago
Reaquisição
Neoclassicismo
Zootecnia
Ruderal
Pespegar
Drenar
Fetiche
Voyeur
Cumbuca
Bloqueio
São palavras
Retiradas ao acaso
De um dicionário.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O HOMEM SEM PERFIL

(por: Reverendo W. Van Baco)




O homem sem perfil no Orkut, sem perfil no Facebook, nem no Badoo, nem no QuePasa, nem no LinkedIn, sem Twitter, sem Skype, sem Blog, sem sequer MSN, e até mesmo sem celular convidou Sua Amiga para sair.
“Mas eu não sei nada sobre você.”
O homem sem perfil no Orkut, sem perfil no facebook, nem no badoo, nem no QuePasa, nem no LinkedIn, sem Twitter, sem Skype, sem blog, sem sequer MSN, e até mesmo sem celular queria que pudessem conversar e se conhecer, queria mostrar a Sua Amiga quem ele era.
"Mas como vamos conversar se você não tem perfil?"
O homem sem perfil ficou triste e voltou para sua rotina sem Orkut, sem facebook, sem badoo, sem QuePasa, sem LinkedIn, sem Twitter, sem Skype, sem Blog, sem sequer MSN, e até mesmo sem celular.
Certo dia, vendo o que Sua Amiga postava pela internet, o homem sem perfil descobriu que Sua Amiga estava apaixonada por um sujeito chamado http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4241756190056222296 .
O homem sem perfil não podia competir com http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4241756190056222296, pois http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4241756190056222296 tinha dez perfis no Orkut e quatro no Facebook, todos com a lotação máxima de amigos. Era, portanto, um sujeito muito mais confiável e respeitável que o homem sem perfil.
Desesperançado, o homem sem perfil não sabia o que fazer de sua vida. Pensou então em criar um perfil! Mas não tinha amigos, como iria fazer? E se nem mesmo a Sua Amiga quisesse se tornar seu amigo? Não poderia sobreviver a essa frustração. Perfis não eram pra ele. Então teve uma idéia. Criaria sua própria rede social. Isso. A rede dos solitários, destinada àqueles que não tinham amigos. Ficou tão empolgado que desenvolveu uma rede internacional, a LonelyPeople.org . Na LonelyPeople, ninguém tinha sua rede privada e egoísta de amigos, todos os cadastrados eram automaticamente amigos e podiam se comunicar livremente. Finalmente os solitários eram prestigiados. A rede se tornou um sucesso meteórico. O homem sem perfil não acreditou quando sua rede superou o numero de usuários de todas as outras redes sociais. Mas como é possível, se tantos usuários das outras redes possuíam tantos milhares de amigos, o número de solitários ser tão grande? O mundo definitivamente não fazia sentido para o homem sem perfil.
Ainda mais surprendente quando descobriu que http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4241756190056222296 havia se cadastrado na LonelyPeople.org . Pelo Facebook, descobriu que http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4241756190056222296 deu o fora em Sua Amiga. Como pode alguém preferir se juntar ao LonelyPeople a ficar com Sua Amiga? O homem sem perfil definitivamente não entendia as pessoas.
Então Sua Amiga veio visitá-lo. Precisava de um ombro amigo, alguém de confiança. O homem sem perfil não entendeu. Não tinha perfil. Sua Amiga não era cadastrada no LonelyPeople. Não eram amigos. Até o http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4241756190056222296 era seu amigo, mas não Sua Amiga. Ainda assim abraçou Sua Amiga por compaixão. Permaneceram abraçados por algum tempo. Depois delicadamente despediu Sua Amiga.
E o homem sem perfil retornou para sua sincera solidão.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O BERRO 19


Mais uma edição do BERRO na área, que continua firme e já está no nº 19. O destaque dessa edição é uma interessante e detalhada biografia do clássico escritor Lima Barreto, enfocando os aspectos libertários de sua vida e obra.O zine traz ainda comentários de Winter Bastos sobre os filmes Chove sobre nosso amor e Capitalismo: uma história de amor; notícias; divulgação de eventos; dicas de blogs; e texto sobre os princípios da Federação Anarquista do Rio de Janeiro.

Contato: Winter Bastos - o.berro@hotmail.com , http://expressaoliberta.blogspot.com

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

OS BONS E VELHOS GIBIS DE JOSÉ SALLES

José Salles é uma das maiores lendas vivas da produção cultural independente nacional. Esse paulista polêmico e determinado já fez de tudo um pouco, desde filmes subversivos até folhetins de reflexões sociopolíticas, e escreveu para diversos dos mais importantes fanzines tupiniquins já produzidos. Depois de fundar a Editora Júpiter II, passou a se dedicar inteiramente a esta empreitada, e se tornou um gigante do quadrinho nacional. A Júpiter II já publicou inúmeros gibis, de variados temas, e de grandes talentos dos quadrinhos atuais. Aliás, não só dos atuais, mas faz também um resgate impressionante de HQs históricas e artistas fundamentais que nem sempre são reconhecidos como deveriam.


Muito bem, este post trata mais especificamente de uma deliciosa série lançada pela Júpiter II: O BOM E VELHO FAROESTE, que até o momento possui duas edições lançadas. O título é totalmente auto-explicativo, diz tudo. O gibi é exatamente isso, inteiramente na linha dos faroestes clássicos, produzidos principalmente pelo cinema estado-unidense. Um prato cheio pra quem é fã do gênero. Nem mais, nem menos. Nestas duas edições, temos duas ótimas histórias escritas pelo Salles, cativantes e dramáticas, que o leitor devora de uma só vez e ainda não se sente saciado, ávido por mais. E o que dizer da arte de Adauto Silva? Sensacional. As capas são verdadeiras pinturas, muito bem trabalhadas. E a expressividade dos personagens é o grande destaque no desenvolvimento das HQs. 


No número 1, temos a velha figura do cavaleiro solitário, (aliás, é o próprio Clint Eastwood no traço preciso de Adauto) em sua angustiante tentativa de abandonar o passado e constituir uma família. O número 2 consegue superar o primeiro e apresenta uma história envolvente sobre o conflito entre dois irmãos, que buscam um mesmo objetivo, mas por caminhos opostos.
É isso. Estes dois gibis não apresentam inovações nem malabarismos artísticos em relação ao gênero, apenas... o bom e velho faroeste. E está ótimo! Ainda famintos, aguardamos pelo número 3.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

FAZENDO A CENA ACONTECER - 1º UGRA ZINE FEST

São ocasiões como essa que fazem tudo valer a pena. Dias 11 e 12 de fevereiro aconteceu em São Paulo mais uma histórica celebração entre fanzineiros e pessoas que fazem alguma coisa. Foi o Ugra Zine Fest. Esperemos que tenha sido o primeiro de muitos.
Veja como foi:
http://ugrapress.wordpress.com/2011/02/17/impressoes-sobre-o-1%C2%BA-ugra-zine-fest/#more-1114

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

ANORMAL ZINE ENTREVISTA ANORMAL ZINE

O folclórico Anormal Zine agora faz parte do Partes. A partir de agora, este blog passa a ser o canal oficial de informações sobre as novidades desta loucura em forma de fanzine.
E para inaugurar esse nosso novo patamar de insanidade, segue uma exclusiva entrevista que a equipe do Anormal fez com... o editor do Anormal. !!??




Olá, amiguinhos. Bem vindos ao universo do Anormal Zine. Depois de muitas tentativas frustradas e negociações, finalmente conseguimos! Temos a honra e o orgulho de entrevistar: o Editor do Anormal Zine. Vamos lá.

Anormal Zine: É um prazer entrevistar o senhor.
Editor do Anormal Zine: Por favor, deixa disso, nada desse negócio de senhor. Pode me chamar de Vossa Excelência Reverendíssima.

AZ: Ok. Nós gostaríamos que V.Ex.ª Rev.ma explicasse aos leitores o que é o Anormal Zine?
EAZ: O AZ é uma doença. E ninguém ainda conseguiu descobrir uma cura.

AZ: Como está sendo a recepção da edição mais recente do AZ, o Anormal Zine Ultra Deluxe Maximum Premium Anthology?
EAZ: Um sucesso absoluto! Nossos três leitores adoraram e fizeram muitos elogios. Estamos muito felizes e animados para novas produções.

AZ: O que podemos esperar do próximo AZ?
EAZ: O de sempre, mas como nunca antes visto.

AZ: V.Ex.ª Rev.ma tem um singelo e humilde projeto de dominação mundial. Como isso se dará?
EAZ: É um processo lento, mas fatal. Aos poucos estamos espalhando o vírus AZ mundo afora. E como disse anteriormente, não há uma cura conhecida. Assim, uma vez infectado, não há mais volta. E é um vírus extremamente contagioso. Quem está contaminado passará adiante com qualquer tipo de contato. Estamos agora testando formas de acelerar esse processo para concluí-lo antes de 2012.

AZ: Então acredita que o mundo irá mesmo acabar em 2012?
EAZ: Claro. Nostradamus previu isso. Veja esta profecia dele:
Irmãos e irmãs cativos em lugares diversos
Achará eles passando perto do monarca:
Contemplando eles seus ramos atentos,
Desagradando para ver as marcas em queixo, frente e nariz.

AZ: ??? Não consigo visualizar nada aí que indique o fim de tudo em 2012.
EAZ: Ora, não seja ingênuo. Observe que Irmãos e irmãs cativos em lugares diversos
significa que toda a humanidade, em todos os lugares, estará indefesa e impossibilitada de escapar. O monarca evidentemente é o rei supremo, ou seja, Deus, ou qualquer que seja a força que rege o cosmos. Todos passarão por deus e contemplarão seus ramos. Ramos é uma alusão à linhagem, à família, à árvore genealógica. Ou seja, todos os seres, do presente e do passado, estarão mortos, estarão juntos no próximo estágio da existência, será o fim do mundo dos vivos. E as marcas em queixo, frente e nariz denota um estado de conjunção, de alinhamento. Obviamente é uma referência ao alinhamento do sol com o centro da Via Láctea. Esse fenômeno astronômico é raríssimo e só acontece uma vez a cada 26 mil anos. E o próximo será justamente em dezembro de 2012. Portanto, não há nenhuma dúvida sobre o fim de tudo em 2012.

AZ: Puxa!
EAZ: Mas aviso a todos que ainda assim o AZ irá continuar. Não é qualquer apocalipsezinho que irá nos abalar.

AZ: Aproveitando o assunto, existe mesmo vida após a morte?
EAZ: Porque você não se mata e descobre?

AZ: O que inspira V.Ex.ª Rev.ma a produzir?
EAZ: Me inspiram as pedras, me inspiram as pequenas formigas domésticas que passam sob nossos pés sem se importar com nosso tamanho, me inspiram as formas estranhas que as nuvens adquirem às vezes, me inspira a cadela no cio cheirada pelo cão nunca anteriormente visto, me inspira a teoria de que o universo se expande e se aniquila em um infindável buraco negro chamado de Grande Atrator, me inspiram os filhos de vosso ventre, me inspira não saber de mais nada. Só isso.

AZ: Quais suas preferências? Livros, músicas, etc?
EAZ: Pornografia em geral. Nenhum nome em especial.

AZ: Como é o seu processo criativo?
EAZ: Primeiro me embebedo. Então pego papel e caneta e procuro as idéias. Se elas não aparecem me espanco até que venha alguma inspiração. Depois, quando acordo de ressaca, momento em que meu senso crítico está o mais alto possível, leio o que escrevi e faço a revisão final. Ou jogo tudo fora, que é o mais provável.

AZ: É verdade que V.Ex.ª Rev.ma é paciente de um manicômio e só edita o AZ quando está internado?
EAZ: É verdade. Aliás, é onde estou nesse momento.

AZ: Mas V.Ex.ª Rev.ma está bem na minha frente.
EAZ: Exato.

AZ: Muitos zines estão literalmente saindo do papel e se tornando virtuais. O AZ pode também seguir esse caminho?
EAZ: O AZ sempre saiu em papel, mas nunca teve um formato especifico. Já foi A6, A5, formato de flyer, forma circular, então nada impede que ele tenha uma ou outra edição virtual. Mas nunca deixará de ter edições impressas. E também não tem que ser necessariamente em papel. Pode ser em qualquer coisa, plástico, papelão, cerâmica, capim, esterco, não importa o material, o importante é produzir.

AZ: Agora a pergunta que todos esperavam: com que idade V.Ex.ª Rev.ma perdeu a virgindade?
EAZ: Boa pergunta, muito pertinente. Foi aos 8 anos, com a Cheetara.

AZ: Cheetara? Dos Thundercats?
EAZ: Isso, eu tinha a coleção completa dos bonecos deles e me apaixonei pela Cheetara. Eu tirei uma das pernas dela e aí...

AZ: Sim, sim, ok, já entendemos. Outra pergunta que não poderíamos deixar de fazer: o que acha do Projeto HAARP e a manipulação do clima?
EAZ: É uma questão polêmica, com certeza. Teoricamente seria bom, pois  poderíamos contornar desastres ambientais. Teríamos a possibilidade de, por exemplo, minimizar a seca do nordeste. Mas (sempre tem um mas), por outro lado, existem boatos de que o projeto estaria sendo usado para provocar inundações, de acordo com interesses políticos. A tecnologia é assim, pode ser usada para salvar ou para destruir. Creio que não se deve barrar o avanço científico, mas acompanhar e fiscalizar bem de perto. Parece que o Haarp está sendo conduzido totalmente às escuras, sem muitos esclarecimentos sobre o que vem sendo feito. Aí é complicado. Satisfações devem ser cobradas.

AZ: Pra terminar, deixe uma mensagem para os fãs do AZ.
EAZ: O quê? O AZ tem fãs?


 Toda a equipe do AZ gostaria de mandar um grande beijo para a amiga Cheetara

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Mondo zine - CAMA SURTA 03

 
Esta é uma edição especianal do Cama Surta, que reapresenta conteúdo das edições anteriores e traz material inédito. Aqui temos a poesia visceral do inquieto Diego Khouri, que explora sentidos e sentimentos em profundidade. Os textos Sentir, Ao Poeta Interior, Tempo Todo, Soneto Único, Olhos são exemplos da intensidade de seus versos. O zine traz ainda ótimas entrevistas com Glauco Mattoso (que desencadeou até um soneto exclusivo do mestre) e A Wild Blumen. E poemas de Kaio Bruno, Flá Perez, Fabio Barbosa e Murilo Pereira Dias. Visualmente, Cama Surta é similar ao Molho Livre, recentemente resenhado neste blog , montado através de colagens de imagens e textos diversos. A diferença é o Cama apresentar um viés mais erótico. Mas pela similaridade, talvez os dois possam ser fudidos, ops, fundidos numa única publicação. De toda forma, o importante é que Diego não pare.
Contato: Diego El Khouri – diego.doug@hotmail.com         http://molholivre.blogspot.com


Tempo Todo
(Diego El Khouri)

Passa o tempo.
Tempo todo.
Todo dia.
Me sinto pouco.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

RESPEITÁVEL PÚBLICO, VENHAM VER OS INCRÍVEIS HUMANOS

(por: Juzé da Ciuva)

 


Respeitável público, venham ver os incríveis humanos! É de graça. É divertido. Eles são inteligentes e obedientes. Mas atentem para as regras. É proibido jogar comida aos humanos. Não é permitido chegar perto deles. Mas podem tirar fotos à vontade. Podem também conversar com eles. Os humanos adoram interagir com as pessoas.

É inacreditável quando observamos a que os seres humanos se sujeitam em troca de fama e fortuna. Os eliminados do Big Brother Brasil 2011 ganharam uma nova chance de retornar ao programa e concorrer ao prêmio de 1,5 milhão. Para isso basta ficarem trancafiados 24 horas por dia em uma pequena casa de vidro, em exposição num shopping do Rio de Janeiro, e implorarem pelo voto dos telespectadores, que decidirão quem volta à competição. Sem nada para fazer, eles passam o dia acenando de forma patética para os visitantes e distribuindo sorrisos amarelos, tentando disfarçar o tédio e constrangimento da situação.

Podemos fazer algumas considerações acerca dessa nova concepção de lazer. É a evolução do cárcere recreativo! Manter um periquito numa gaiola? Chato! Ver animais selvagens enjaulados no zoológico? Também já perdeu a graça! Elefantes malabaristas e macacos zombeteiros no picadeiro do circo? Virou programa de vó! Não queremos mais ver seres irracionais domesticados para nos agradarem. Queremos ver seres humanos enjaulados! Queremos um zôo de Homo Sapiens! Queremos agora domesticar seres RACIONAIS para nos agradarem.

Muitos acham a tal casa de vidro repugnante, uma afronta ao ser humano. Eu não. Sou totalmente favorável. Se um cachorro (que também é um ser que pensa e sente, não esqueçam) pode ser encoleirado e preso num canil apenas para divertimento de seu dono, porque não podemos fazer o mesmo com nós mesmos? Acho justíssimo. Eu apóio a criação doméstica de humanos. Também quero ter um brother de estimação, preso no meu quintal. Vou cuidar direitinho dele, não se preocupem. 

O mais engraçado é quando pensamos que nenhum dos enclausurados na casa foi obrigado a entrar ali, ao contrário dos outros animais menos evoluídos, que não podem resistir ao domínio dos homens. Foi decisão dos participantes, eles se inscreveram totalmente cientes do papel que fariam. Definitivamente não existe razão nas atitudes dos animais racionais! Então o que nos difere dos irracionais é simplesmente sermos manipulados com muito mais facilidade. 

A proposta é a seguinte: como disse, sou inteiramente a favor do cárcere recreativo de humanos. Mas com uma condição. Vamos libertar os outros animais! Não precisamos mais deles. Deixemos que voltem para seus habitats originais (se ainda existirem). Vamos criar apenas humanos! Está lançada a campanha: SOLTE SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO E ADOTE UM BROTHER!

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

PEDAÇOS


(Por: KWY)

Chuto sua cabeça uma vez mais, com prazer. Ela rola pela terra até parar rente a uma treliça. Agarro um dos braços e o jogo no rio, com força, com ódio, com satisfação. Foda-se, não vou enterrá-lo. Que os seus restos apodreçam aí mesmo. Mas logo alguém o encontrará. Chamará a polícia. Investigações serão feitas. Provavelmente chegarão a mim. Foda-se, não me importo. Tudo o que quero é sentar sobre a mesma rocha em que sentava na infância e contemplar o rio. Vivi aqui até me casar. Meu pai me trazia aqui sempre, eu e meu irmão. Nadávamos e brincávamos o dia inteiro. Era bom. De repente, num impulso, quero tirar a roupa e nadar. Tiro a roupa e pulo na água. Não me importo se o sangue do desgraçado contaminou a água. Abro os braços, fecho os olhos, deixo meu corpo flutuar, a suave correnteza me levar. Os primeiros raios de sol da manhã banham meu rosto, meus seios, meu ventre. Logo alguém aparecerá. Encontrará os pedaços. Não me importo, tudo o que quero é aproveitar este momento de paz. Finalmente em paz comigo mesma. Tudo o que quero é flutuar...

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

A DITADURA DA ESTÉTICA

(Por: Fenilisipropilamina Man)


Quis criar
Algo bonito
E complexo
Quis voar
Para o limbo
Desconexo
Mas não pude crer que o mundo resumisse-se a tão limitadas possibilidades de manifestações neuro-linguisticas
E a corte apavora o reinado
O profeta esqueceu o ditado
É isso
Ponto
Cabô
O preço da laranja subiu de novo
Puta que pariu, como posso ter uma alimentação saudável assim?
Voltei
Porque esqueci
Isso não é poesia clássica
Isso não é poesia concreta
Isso não é poesia pós-moderna
O preço da carne também subiu tá de brincadeira sim posso virar um vegetariano mas sou carnívoro como posso contrariar minha natureza sou um animal instintivo pseudo-racional sou um predador. Um frágil predador.
Isso não é poesia



Isso não é
Isso sou eu
Vai se acostumando
Porque você vai aprender a me amar
Vai aprender
Sim é metricamente medonho
Geometricamente torto
Estilisticamente patético
ritmo não
Mas você vai aprender a gostar
Vai aprender