É O QUE É. E O QUE NÃO É.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

IDA

.

Vladimir Kush



Passa horas na biblioteca, folheia incontáveis livros. Anda a esmo, olha as movimentadas vitrines do hipercentro. Caminha no parque. De volta ao carro, passeia por intermináveis avenidas. Sorri ao entrar em um engarrafamento. Aos poucos, a luz natural desaparece. Lojas e prédios cerram suas portas. A angústia irrompe em suas veias. Vai para o shopping, que só fecha às dez. Logo são dez horas. E agora? Um hospital. Entra timidamente e senta na sala de espera, como se aguardasse atendimento. Ali fica um bom tempo, sem fazer nada, sem prestar atenção em nada. Exceto no segurança. Que olha desconfiado em sua direção.  Melhor partir. Volta pro carro. Olha para o relógio. Dirige sem direção. Um hipermercado 24 horas. Maravilha. O lugar é enorme, vários corredores, percorre todos eles. Pára de frente aos congelados. A gostosa brisa gelada do freezer. Um funcionário se aproxima: precisa de ajuda? Não, estou só dando uma olhada. E continua ali, imóvel. Seu olhar na direção dos iogurtes, mas não os vê. Sua mente está longe, perdida no limbo. Não sabe mais pra onde ir. Só tem uma certeza: não irá voltar.

terça-feira, 26 de abril de 2011

AMOR NO PRESENTE DO INDICATIVO



- você me ama?
- o quê?
- perguntei se você me ama.
- porque pergunta isso agora, depois de todo esse tempo que estamos juntos?
- você nunca disse que ama.
- você também não.
Olhares. Profundos olhares. Um toque suave em seus cabelos, na pele de seu rosto. Um beijo. Se amam. Por toda aquela noite.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sessão da tarde

Pra começar bem uma melancólica semana pós-feriadão, nada como um pouco de psicodelia e brutalidade pra relaxar. Iniciando nossa seção musical do dia, temos a beleza e imponência do JEFFERSON AIRPLANE. Depois, hora de bater cabeça com os alemães do SODOM ao vivo, apavorando os tailandeses. E, pra fechar, vamos todos botar o almoço pra fora com a sanguinolência visceral do IMPETIGO.

 Jefferson Airplane - White Rabbit

Sodom - Among The Weirdcong

Impetigo - Breakfeast At The Manchester Morgue

terça-feira, 19 de abril de 2011

VADE RETRO, CLÁSSICO

(Por: Fenilisipropilamina Man)


(imagem por Margot Dukker)



Minh`alma...
Minh`alma
Minh`alma, onde estás?
Ah, sim, emprestada ao Santo dos Desesperados. Tentei vender ao Diabo, mas o velho fracassado não tinha muito o que oferecer.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

A PEREGRINAÇAO DO SERVO DE ISHTAR - Parte IV

Imagem por Katarzyna Widmanska


“Não conheço nenhuma Ylljana. Comprei a casa de um casal idoso que queria um lugar menor depois que os filhos se casaram. Não, não sei pra onde eles se mudaram, nem tenho nenhum telefone deles”.
A única mulher que realmente amei. O país ainda se chamava Iugoslávia. Terra das caucasianas mais belas do planeta. Entre as belas, ela era belíssima. Entre as belíssimas, ela era o Sol.
Cheguei a esta conclusão após 3 meses de total reclusão em Istambul.
Ylljana. A única por quem voltei.
Percorri os Bálcãs por completo. Toda a Europa Oriental. Nenhum sinal.
Ela é como eu. Sem destino.
Incerta.
Estaria ela também me procurando?
Ou, talvez, cansada, tenha constituído abrigo.
Estaria ela agora na janela?
Observando?
Esperando?
Me esperando?
Não seja ingênuo, seu tolo, certamente ela seguiu seu caminho.
Me esqueceu.
Aprendeu comigo.
Talvez seja melhor assim.
Não encontrá-la.
Sem desilusões. Apenas recordações.
E a fantasia de que poderia ter dado certo.


Anteriores:

quinta-feira, 7 de abril de 2011

JANELA PODEROSA 07


O zine JANELA PODEROSA apresenta uma proposta bem interessante: cada edição é dedicada a um único tema. O editor RIC RAMOS faz uma boa pesquisa sobre o assunto e publica diversas particularidades relacionadas. O tema da edição 07 é o underground. Para mostrar o que é o underground, temos breves textos explicativos em formato HQ e entrevistas / máterias com a produtora de filmes trash Pepa Filmes, a produtora musical Metal A.D.I.D.A.S, e a banda Attar. O formato do zine é simples, uma folha A4 dobrada duas vezes, mas o visual é bem chamativo e criativo, todos os textos possuem carismáticas ilustrações. Zine de leitura rápida, mas sempre com boas dicas e singularidades do assunto escolhido.
Contato: http://janelapoderosa.110mb.com/ ; janelapoderosa@gmail.com

terça-feira, 5 de abril de 2011

O horror e o fantástico em webzines

Os apreciadores dos gêneros terror, fantástico e literatura soturna não podem reclamar. Diversos ótimos webzines estão circulando net afora. Logo abaixo uma amostra:


A equipe da Ravens House Brasil há vários anos apresenta uma produção intensa e de qualidade. O Fun House Extreme é o principal cartão de visita dessa turma e já está em sua 19ª edição. O destaque desse número é uma detalhada matéria sobre o Flying Spaghetti Monsterism, ou Pastafarianismo, a macarrônica religião criada por Bobby Henderson que foge da mesmice das crendices habituais. O zine traz também uma resenha do que foi a Mostra Espantomania 2010, realizada em São Paulo; artigo sobre o perigoso vídeo Mereana Mordegard Glesgorv; divulgação de bandas, sites e eventos; notícias do cenário de arte extrema. Publicação apenas essencial para os apreciadores de horror.




O Flores do Lado de Cima é outra obra da Ravens House, esta capitaneada pela R. Raven e mais voltada para a literatura e música. O nº 16 apresenta entrevista com Azriel, do fanzine Funeral of Tears; matérias sobre a poesia de Florbela Espanca e os impressionantes bonecos de Ron Mueck; contos, poemas; divulgação de bandas, livros e sites; um interessante artigo sobre o Tarô dos Vampiros. O diferencial das produções da Ravens House é sempre trazerem ao seu público matérias sobre artistas diferenciados, ousados e criativos, cuja obra vale a pena dar uma espiada. O exemplo desta edição é a obra de Ron Mueck. Folhear as páginas dessas revistas digitais é certeza de se deparar com ótimas dicas da arte extrema underground atual. Este nº do Flores ainda vem com o álbum em MP3 Cadauveribus Cantationem.




O Terrorzine é fruto de uma ótima idéia: uma publicação com mini-contos de terror. Escrever um conto de horror realmente bom, que fuja dos clichês batidos do gênero e seja bem construído e impactante, não é tarefa fácil. E escrever um mini-conto, então, é um verdadeiro desafio. A cada edição do Terrorzine muitos autores encaram esse desafio e o resultado, como é de se esperar, é irregular. Alguns pecam pela preocupação excessiva com o rebuscamento do texto sem apresentar nada de novo, outros têm boas idéias mas não conseguem desenvolvê-las de maneira satisfatória em um texto curto. Mas alguns conseguem em poucas palavras causar grande impacto com contos criativos e bem resolvidos. Neste número 23 vale conferir Sem Vida... Sem Morte! , de Almir Pascale; Avis Rara, de Miguel Carqueija; Nada de Anormal, de Vagner Tadeu Firmino. Esta edição traz também entrevistas com Fabian Balbinot e Moacyr Scliar, em homenagem ao escritor falecido no início de 2011; interessante e prático artigo de Laura Elias sobre os atos de escrever e publicar; dicas de livros e sites. É muito bom uma publicação interessante como o Terrorzine estar conseguindo manter a regularidade. Esperemos que perdure ainda por muito tempo.




O Juvenatrix dispensa maiores apresentações e chega a sua incrível 126ª edição. É obra obrigatória para os fãs de arte extrema. Este número segue o padrão costumeiro de qualidade, com destaque para as resenhas comentadas de todos os episódios da série A casa do terror, da produtora Hammer. Uma marca do Juvenatrix é sempre apresentar listagens interessantes de filmes de terror, e a da vez é uma lista dos filmes fantásticos lançados nos cinemas brasileiros de 2010. Temos ainda notícias do mundo Metal; divulgação de livros, revistas, filmes, fanzines, eventos e sites; contos; artigos.

Peça através de renatorosatti@yahoo.com.br com o Renato Rosatti. Site: www.infernoticias.blogspot.com